blog

Transição de Carreira ] da Satisfação para Autorrealização

16 de fevereiro de 2018


Na estréia do Jornal da Potentiallis, nós produzimos uma Entrevista com um dos membros da Família Potentiallis, nosso querido: Antônio Techio, que participou do seu primeiro processo de desenvolvimento em janeiro de 2016. Ele relata com suas próprias palavras, como foi sua Transição de Carreira, passando de Gerente de Projetos de TI satisfeito em constante crescimento, para Gerente de Pessoas na mesma organização, e assim mais do que satisfação, conquistando a tão sonhada autorrealização.

Como começou sua busca por Desenvolvimento Comportamental?

Eu iniciei a minha jornada em 2015, quando comecei a planejar o meu próximo passo de carreira, que seria entrar para área de Gestão de Pessoas.

O primeiro desafio foi iniciar uma transição de um mundo técnico para um mundo comportamental, onde questões como influência, gestão das emoções, gerenciamento de conflitos e habilidades interpessoais eram tão importantes quanto técnicas, processos, sistemas e tecnologias.

Com formação em Ciência da Computação, mestrado na mesma área e mais de 15 anos de experiência em Tecnologia da Informação (TI), decidi sair da zona de conforto e iniciar uma jornada de estudos e treinamentos em Liderança e Gestão de Pessoas.

Membro da Família Potentiallis

Na sua opinião, quais eram seus principais desafios como Gerente de Projetos de TI?

Na área de TI, a mudança é uma constante e isso faz como que os profissionais busquem novos conhecimentos, novas tecnologias e tendências de mercado para manterem-se atualizados e qualificados, e também, para ajudarem as organizações a sobreviverem em um mercado tão competitivo.

A tarefa de manter-se atualizado não é fácil, mas também não é difícil, pois a cada clique na internet encontramos centenas de milhões de sites, blogs e vídeos com conteúdo relevante na ponta dos nossos dedos.

Além disso, com algumas horas de estudo, podemos aprender qualquer coisa e, por exemplo, dominar uma nova tecnologia em questão de dias.

Portanto, os principais desafios dessa carreira técnica estavam relacionados com mudanças constantes de tecnologias, processos e metodologias e também com a preocupação de valor agregado que geramos para as organizações.

Qual dica você daria para quem trilha uma carreira técnica?

Na minha opinião, o principal desafio de uma carreira técnica na área da TI, ou em qualquer outra área técnica, é mantermos a nossa curiosidade sempre em alta, para não cairmos na zona de conforto e nos tornarmos profissionais obsoletos.

Como disse Steve Jobs em seu discurso aos formados da Universidade de Stanford da classe de 2005: “stay hungry, stay foolish”, que traduzindo literalmente para o português significa: “continue faminto, continue tolo”, ou seja, continue faminto por aprender sempre e desenvolver-se como pessoa e profissional.

Conte um pouco da sua visão sobre a área comportamental:

No mundo comportamental, precisamos aprender sobre pessoas ao invés de novas tecnologias, gerenciar emoções ao invés de gerenciar atividades em um projeto, compreendemos que as centenas de milhões de sites, blogs e vídeos na internet parecem não serem mais suficientes para compreendermos esse novo mundo e também percebemos que cada pessoa é diferente uma das outras, reagem e pensam de forma diferente e quando menos esperamos, são totalmente imprevisíveis.

Além disso, não basta somente entendermos as pessoas com quem trabalhamos ou lideramos, mas também precisamos nos conhecer e controlar as nossas próprias emoções.

Com esses novos desafios, eu constatei que precisaria descobrir novas ferramentas e metodologias para facilitar o meu desenvolvimento pessoal e profissional e nesse momento eu decidi que iniciaria uma longa jornada de autoconhecimento, na qual continuo até hoje.

Como foi a sua jornada de crescimento pessoal?

Em 2015, iniciei o MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores na FGV, que me oportunizou conhecer novas áreas do conhecimento que transitavam desde Programação Neurolinguística (PNL), Inteligência Emocional e Neurociência até disciplinas mais tradicionais das áreas da Administração e Psicologia.

O MBA foi ótimo para ter o primeiro contato com esse novo mundo, porém eu fiquei com o sentimento que precisaria aprofundar mais algumas áreas.

Neste mesmo ano, iniciei uma pesquisa no mercado por empresas de treinamento que aprofundassem essas disciplinas com foco em autoconhecimento e liderança.

A busca não foi nada fácil, pois muitas empresas de treinamento apresentavam propostas com apenas um foco, como PNL, liderança ou somente comunicação.

Felizmente a minha história começou a mudar quando participei de alguns eventos na AMCHAM em Porto Alegre e conheci uma empresa chamada Pontentiallis, que mais tarde se tornaria a família Potentiallis, da qual faço parte até hoje.

No mesmo ano, sem pensar duas vezes, me matriculei na Formação Comportamental da Potentiallis.

Como foi o seu desenvolvimento com a Potentiallis?

A Formação da Potentiallis, além de focar em liderança, comunicação e autoconhecimento, também aborda temas emergentes como Inteligência Emocional, Neurociência e competências comportamentais.

Foi também na Potentiallis que eu tive o primeiro contato com o sistema eneagrama.

O eneagrama foi uma ferramenta importante, que me ajudou a identificar as principais características da minha personalidade e do meu comportamento, como por exemplo, a maneira como eu me posiciono no mundo, como eu me relaciono com as outras pessoas, estilo de liderança e comunicação, entre outros aspectos.

Além disso, através do eneagrama, aprendi sobre como as outras personalidades funcionam, que valores de liderança são mais fortes e como podemos ser mais assertivos com cada tipologia.

Quanto mais estudamos e praticamos, mais facilmente reconhecemos padrões de comportamento que podem nos ajudar a melhorar as nossas relações interpessoais.

Como você conseguiu gerar resultados?

Ao final da formação de liderança, eu criei um plano de ação, com pontos fortes e fracos e algumas metas para atingir durante o ano, específicos para o meu perfil.

Nesse momento eu sabia exatamente o que eu tinha que fazer e quais pontos eu tinha que desenvolver para me tornar um gerente de pessoas.

A propósito, ter um plano de ação é um ótimo começo, porém não é suficiente, pois precisamos de muita disciplina e foco para continuarmos nos desenvolvendo.

Portanto, a minha caminhada continuou em 2016, com grupos de Coaching por personalidade liderados pela Elaine Souza, onde tivemos a oportunidade de aprofundarmos questões pessoais e profissionais com outros alunos da Potentiallis da mesma tipologia.

Esse momento foi único, pois mesmo dentro da mesma tipologia, existem perfis bem diferentes e que contribuíram muito para o meu crescimento.

Enfim, após uma caminhada muito gratificante de 2 anos de estudos, crescimento e autoconhecimento, me tornei Gerente de Pessoas em uma multinacional da área de TI, liderando um time distribuído globalmente, com projetos de alta complexidade.

Quais são seus próximos planos?

O mundo comportamental é fascinante e ao mesmo tempo desafiador e, portanto, o processo de aprendizagem e autoconhecimento continuarão como prioridade número um nos próximos anos.

Você acredita que a abordagem do Eneagrama da Potentiallis é diferenciada? Porque?

Com certeza, pois a formação foca em todas as etapas, da teoria, autoanálise até um plano de ação, e isso é o grande diferencial da Potentiallis.

Durante os três módulos da formação, somos convidados a vivenciar na prática o sistema Eneagrama, conhecer cada tipologia através de ferramentas de apoio criadas pela própria Pontentiallis, além das trocas de experiências com os demais alunos. E por fim, concluímos o treinamento com um plano de ação que nos possibilita continuarmos em contato com o processo de desenvolvimento.

Você acredita que mesmo que tivesse seguido na carreira técnica, teria se diferenciado e alcançado mais resultados com o desenvolvimento pessoal? Porque?

Sim, porque o resultado é alcançado através das pessoas, e a forma com que eu me relaciono pode impactar positiva ou negativamente esse resultado.

Além disso, quando nos tornamos uma versão melhor de nós mesmos, impactamos positivamente todas as pessoas ao nosso redor, nossas famílias, colegas de trabalho e amigos.

Gostaria de deixar um recado final:

Gostaria de deixar um agradecimento especial para Elaine e toda a família Potentiallis pela dedicação, compromisso, profissionalismo e amor com que conduzem esse trabalho transformador com as pessoas.

Acesso Linkedin Antônio: https://www.linkedin.com/in/antoniotechio/

Nós que agradecemos imensamente Antônio, pela sua disponibilidade nessa entrevista que marca o início do jornal da Potentiallis, em nosso Site. Parabéns pelo seu crescimento! Continue assim e conte sempre com a gente!

 

X